Sons de Sonetos

Ao Maldito George Bush

(Demon’s Door – Gray Sapphire)

.
.
.
AO MALDITO GEORGE BUSH
(André L. Soares)
.
Chegado ao fim o horror que foi teu tempo,
marcado pelos traumas dessas guerras,
que a morte ganhe, pois, mil mãos severas
pra urdir teu mais moroso sofrimento.
.
Que, à madrugada, os gritos mais horrendos
– dos homens bons, dos quais fizeste feras –,
vindos das covas rasas e trincheiras,
cheguem a ti… sofridos e violentos.
.
Tendo levado caos a tanta gente,
que, então, conheças dor na iniqüidade,
preso às masmorras tórridas do inferno,
.
onde terás pavor por todo o sempre
e te unirás aos outros vis covardes,
quando virás a ser pasto de Cérbero.
.
.

.

.
Leia também:
Alma de Poesia /Gritos Verticais /Natureza Poética /O Poema de Cada Dia /Poética Herética /Raiz de Cem /Sons de Sonetos

Anúncios
76 comentários »

Súplica do Excluído

(Segunda Classe – Tarsila do Amaral)

.
.
.
SÚPLICA DO EXCLUÍDO
(André L. Soares)
.
Um certo dia, quis crer que o mundo fosse um todo,
pensei que a lei, somada à fé, faria isso logo;
mas quanto mais o tempo passa, mais me afobo,
posto que a paz pretensa nada é… além de engodo.
.
Nas tantas lutas tentei ser correto e probo,
mesmo nem sempre sendo justo o pão que logro;…
visto que há dias em que é mais podre o fel que provo,
quando a derrota, enfim,… parece vir em dobro.
.
De vida simples, do interior,… fruto do povo,
respeito as regras, mas somente a Deus me curvo,…
sigo sonhando com um tempo de amor,… novo,
.
em que o humilde seja mais que mero estorvo…
– tão limitado em seus direitos -, sob sol bruto,
…vivendo a pão-e-água, dominado a ferro-e-fogo.
.
.
.

.

Leia também:
Alma de Poesia /Gritos Verticais /Natureza Poética /O Poema de Cada Dia /Poética Herética /Raiz de Cem /Sons de Sonetos

37 comentários »

Esperança

(Foto: André L. Soares)
.
.
.
ESPERANÇA
(Patrícia Neme)
.
Por isso eu grito as dores da incerteza
que embala um coração desempregado;
e não tem pão ou vinho sobre a mesa…
e nada mais espera do seu fado.
.
Eu grito pelos filhos da pobreza,
despidos de futuro – e de passado!
Sementes do abandono… com dureza
a vida os tange, qual se foram gado.
.
Eu grito por saúde, teto, escola
– direitos vão além de bolsa-esmola –,
por mais cidadania, eu solto a voz.
.
Por mais justiça e fim da impunidade,
por raças convivendo em igualdade,
por um país melhor… por todos nós!
.
.
.

Para ler mais poemas dessa artista, visite:

Patrícia Neme.
.

.

Leia também:
Alma de Poesia /Gritos Verticais /Natureza Poética /O Poema de Cada Dia /Poética Herética /Raiz de Cem /Sons de Sonetos

13 comentários »

Soneto das Ruas – I

(http://www.guimaspace.blogspot.com/)

.
.
.
SONETO DAS RUAS – I
(André L. Soares)
.
Eu vendo doces, o dia todo, no sinal;
trabalho duro, defendendo o ganha-pão.
É o que me cabe, já que nem sou cidadão…
– Só busco um troco pra tentar não passar mal.
.
Têm uns esnobes,… muita grana e coisa-e-tal,
então me humilham, viram rosto, dizem: – Não!…
num gesto brusco, como quem afasta um cão,
porque sou pobre, já me vêem marginal.
.
Por isso, agora, vou assumir o que já sou:
um vagabundo, destemido, bicho solto…
que nunca corre nem dos ‘home’, nem da morte,
.
metendo o berro, faço as vezes do mais forte,
forçando a barra atrás do meu lugar ao sol,…
pra ver se fujo para sempre desse esgoto!
.
.
.

.

Leia também:
Alma de Poesia /Gritos Verticais /Natureza Poética /O Poema de Cada Dia /Poética Herética /Raiz de Cem /Sons de Sonetos

10 comentários »

À Mulher – III

(Foto: André L. Soares)
.
.
.
À MULHER – III
(André L. Soares)
.
Como é viver para ser única e ser tudo,…
no próprio corpo ter-se a santa na devassa,
a que liberta e ao mesmo tempo faz-se escrava;…
tanta coragem, sobreposta ao plano injusto?
.
Por que ser forte, suportando a dor do mundo,…
fingir-se frágil porque querem os patriarcas,
reconhecida na beleza e pela graça,…
dóceis limites de um contexto de absurdos?
.
Pra que conter-se, se está claro que é melhor
essa tua forma de buscar o bem no amor,
sem esperar que venha alguém agradecer?
.
Então me escuta: faça a ti mesma um favor,…
lembra que o esforço de tua luta tem valor
pois nessa vida nada é maior que uma mulher.
.
.
.

.

Leia também:
Alma de Poesia /Gritos Verticais /Natureza Poética /O Poema de Cada Dia /Poética Herética /Raiz de Cem /Sons de Sonetos

14 comentários »

Soneto da Culpa em Pedro

(Foto: André L. Soares)

.
.
.
SONETO DA CULPA EM PEDRO
(André L. Soares)
.
Tentei dizer,… mostrar o quanto é bom
seguir Teus passos no sagrado chão,
gozar a vida sem sentir-me vão,…
pois vi no amor o mais divino dom.
.
Movi meus lábios, surpreendi-me com,…
ao pensar ‘– Sim’, da língua ter o ‘– Não’!
Neguei três vezes, tal previsto e então…
aconteceu de o galo dar o tom.
.
Naquele instante, em que falhara a fé,
quando fingi desconhecer quem És
e repeti que nem fora um dos Teus,…
.
vencera o medo, ao induzir minha voz
a rir de Ti, por vir morrer por nós,…
e feito assim, tornei-me algoz de Deus!
.
.
.

Favorite:

9 comentários »

IndigNAÇÃO


(Operários – Tarsila do Amaral)

.
.
.
IndigNAÇÃO
(Luciano Dionísio)
.
Ouviram, dos teus filhos o gemido,
às sombras dos porões, ó, mãe inglória;
os ferros de suplício; a rogatória;
a infâmia; a gargalhada; o alarido.
.
Deitado eternamente na memória
de um povo torturado e perseguido,
fulgura o episódio descabido
que mancha de vergonha a tua história.
.
E hoje, sob o sol da liberdade,
induze-nos, calcados, sem vontade,
ao pejo de servir outro tirano.
.
Por que, se já colhemos nossos pomos,
madrasta não gentil, ainda somos
fantoches do capricho americano?
.
.
.
.
.
Para ler mais desse autor, visite:
Só às Aves e aos Poetas é Dado o Poder de Voar!.
.
.

.

Favorite:

8 comentários »

O Herege

(Empire – Christopher Haines)

.
.
.
O HEREGE
(Thiago El-Chami)
.
“Meu irmão, tu és réu desta heresia
grave abjuração e incúria extrema
renegaste ao teu Deus em voz blasfema
pagarás com teu sangue à confraria!”
.
“Há um engano, senhores. na homilia
que ora vos submeto, à Lei Suprema
em mil versos proclamo. Vede o tema!
eis que apelo à vossa fidalguia!”
.
Veio então a sentença: “o teu destino
ao quebrar o silêncio do Divino
e ao fazer desta quebra o teu ofício
.
Será errar pelo mundo, só, perdido
e falar, sem jamais ser compreendido
ser poeta, homem: eis o teu suplício”.
.
.

.
.
.
Para ler mais de Thiago El-Chami, visite o blog:
O Corvo e a Fênix

7 comentários »

O Poeta Que Chorava Sonetos…

(Blues Man – Justin Bua)
.
.
.
O POETA QUE CHORAVA SONETOS…
(Lílian Maial)
.
Para ninar poeta toque um sino,
que o som desse silêncio não faz rima,
se a música dos sonhos não anima,
melhor trocar as cordas do violino.
.
Poeta não tem sono e nem destino,
qual lua, que desdenha lá de cima,
de estrelas aparadas com u’a lima
nas pontas, pelas mãos desse menino!
.
Se o meu poeta sofre a noite em claro,
e esquece o meu amor – presente caro –
que as trevas acompanhem seu porvir!
.
Mas se a saudade bate à tua porta,
nos sonhos tua musa te conforta,
enxuga o teu soneto e vai dormir!
.
.
.
.
.
.
.
Para ler mais poemas dessa autora, acesse:
Sonetos de Lilian Maial
.
4 comentários »

Ao Soldado Sobrevivente

(Battle of Magenta – Giovanni Fattori)

.
.
.
AO SOLDADO SOBREVIVENTE

(André L. Soares)
.
Tendo a justiça, quase sempre, errado,…
formou-se o flagra, por detrás da burca:
véu sujo e escuro, que à dor se ajusta,
tal um Narciso nascido entre escarros.
.
Também há a força: velha lei dos bravos

– a mola-mestra que os impele à luta –,
mãe da verdade fria que a adaga oculta
na ideologia torpe de algum tratado;
.
e quando os porcos, dominando o estado

– abrigo amável aos mais vis canalhas –,
ornam, com flores, seus ardis macabros,…
.
o que se tem é só a moral do diabo:

no morto-vivo que, após mil batalhas,
volta pra casa para ser escravo.
.
.
.

4 comentários »

%d blogueiros gostam disto: